A quem interessa um país sem educação?

As economias mais sólidas do planeta já entenderam que quanto melhor a educação, mais estável e crescente será o seu resultado econômico e financeiro.  Além de proporcionar à população mais emprego, renda e boas condições de saúde, transporte e segurança.

A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) realiza a cada três anos uma pesquisa para saber como anda a educação pelo mundo e divulgar as melhores práticas educacionais. A última pesquisa foi realizada em 70 países, dentre eles: Japão, Coreia do Sul, Cingapura, Argélia, Kosovo, Venezuela, Colômbia, Cazaquistão, Peru e Brasil. E confirmou novamente que possuímos as piores práticas pedagógicas e de conteúdo do mundo. Por exemplo, no grupo de 70 países ficamos na posição de número 63ª em ciências, 59ª em leitura e 66ª em matemática.

É preciso que os professores lecionem em suas matérias de formação. Infelizmente nas escolas públicas é comum um professor ter graduação em uma área, e ser professor em outra. Por exemplo, graduado em História e ter que lecionar matemática. Outro problema também está na falta de uma boa avaliação de desempenho. Hoje os professores faltam muito, não tem um bom plano de ensino e quanto mais tendência na militância partidária estimularem, mais pontos ganharão com a diretoria.

Enfim, quem manda hoje na educação são alguns partidos políticos. Para eles quanto mais inculto for o povo, mais eles podem roubar não só o dinheiro, mas também a dignidade humana e o discernimento do eleitor.

É muito triste ver a confusão pedagógica e programática das escolas públicas. Muitos professores e pais nem chegam a perceber. Mas tudo isso, é política pública para deixar a população confusa, despreparada e sem discernimento crítico. Se a educação liberta o homem para seus direitos de cidadania, então fica claro entender porque a nossa educação é considerada uma das piores do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *